Primeira iniciativa brasileira do sistema prisional em modelo PPP. O contrato assinado em junho de 2009. Primeira unidade entregue em janeiro de 2013. O projeto completo prevê cinco unidades. Três em regime fechado e duas em semiaberto.

Hoje são três unidades em operação. Duas em regime fechado e uma em semiaberto, somando 2.164 presos. O projeto prevê ainda a construção de um sexto prédio, chamado Célula-mãe, onde já funciona a cozinha e futuramente abrigará a administração, almoxarifado e lavanderia centrais.

O investimento total, 100% desembolsado pela GPA, no projeto é de R$ 430 milhões. Até aqui já foram investidos cerca de R$ 330 milhões.