Resgate de vínculos

O vínculo com a família é um dos pilares que se perdem no caminho de uma pessoa privada de liberdade. Recuperá-lo é parte importante do processo de reinserção dessa pessoa na sociedade. A GPA trabalha fortemente nessa aproximação, que pode ser vista em programas como os listados abaixo.

 

  • Estou voltando para casa

A Lei de Execução Penal (LEP) prevê que o preso em regime semiaberto possa, se a Justiça assim entender, ter 35 dias por ano de convívio com a família. É um voto de confiança que o preso recebe e pode assim mostrar que está pronto para o retorno. Nesse momento a participação da família é fundamental.

A GPA desenvolve palestras e conversas para que a família seja parte do processo. A família se responsabiliza a buscar o preso no dia de sua saída e acompanha-lo em seu retorno.

 

  • Reunião de pais e responsáveis

Embora seja uma ação absolutamente ligada à Escola GPA, a iniciativa de criar uma reunião de pais e responsáveis, como acontece com alunos do ensino tradicional brasileiro, vem totalmente ao encontro do resgate de vínculos que a GPA busca em seu trabalho.

Com a reunião cria-se um elo direto entre a família e o desenvolvimento escolar do aluno. Isso porque o familiar responsável pelo aluno acompanha seu rendimento, o que aumenta a responsabilidade dos dois lados de fazer o processo dar certo.